27 de novembro de 2007

Talvez o mundo ainda tenha jeito


Todo dia com certeza você ouve pelo menos alguém dizer coisas como “Ah, o mundo não tem mais jeito não”, “as coisas vão ficar cada dia pior”, “não dá mais pra confiar nas pessoas”, “as pessoas não se importam mais umas com as outras”... blá... blá... blá... e aí, quando você percebe, está repetindo tudo isso. Eu estava repetindo tudo isso. Algumas coisas aconteceram e eu fiquei realmente decepcionada e desanimada com as pessoas. Porque eu olhava pro lado e via um monte de gente egoísta, invejosa, não-confiável, canalha, hipócrita, falsa... E eu acreditava nessas pessoas e não esperava encontrar nelas tanta coisa ruim. Mas aí me aconteceu algo ontem que me fez pensar que, talvez, ainda existam pessoas boas no mundo.

Eu fui ao médico, tirei sangue e, só pra variar, passei mal. Eu estava sozinha na fila da lanchonete, ia comprar pão e suco quando minha pressão caiu, me deu uma tontura, o mundo começou a girar e, com certeza, eu fiquei pálida como um fantasma. Então, uma senhora veio perguntar se eu estava passando mal, me ajudou a sentar, ficou na fila pra comprar minha comida, depois ficou na fila pra pegar a comida e ficou muito preocupada.

Aí, você pára e pensa: talvez ainda dê pra acreditar nas pessoas.

Sempre que alguém faz alguma cachorrice pra mim, prometo que vou me afastar da pessoa pra sempre. Mas aí meu coração mole me impede de cumprir a promessa. Eu não consigo ter raiva das pessoas... Sempre resolvo dar uma segunda chance... Talvez, eu pareça uma otária por isso. Mas não acredito que seja. A raiva só faz mal a nós mesmo e eu acho que não vale a pena perder tempo cultivando algo negativo quando se tem tanta coisa boa pra fazer.

Quando você recebe ajuda de uma pessoa que não te conhece, que nunca te viu, você percebe que ainda existem pessoas boas no mundo, pessoas que se preocupam com os outros, que tem algo mais no coração além de ganancia e maldade.

E quando você conhece alguém assim, começa a pensar que talvez ainda valha a pena ter a esperança de que as coisas vão melhorar. Começa a pensar que talvez a gente ainda consiga acabar com o efeito estufa, com as queimadas, com a pirataria, com a corrupção, com o tráfico de drogas, com as crianças de rua. Talvez as jovens não sejam mais mortas pelos ex-namorados, os pais não sejam mortos pelos filhos, as empregadas nao apanhem de mauricinhos, recém-nascidos não sejam mais jogados na rua pelas mães. Talvez não hajam mais estupros, assaltos, espacamentos, latrocínios, sequestros.

Talvez,
o mundo ainda tenha jeito.

Um comentário:

Talitajj disse...

Quero acreditar em vc Alinoca!!
Beijos