4 de junho de 2012

Guia de viagem - Mais dicas de Buenos Aires


Dois anos depois, eu voltei para Buenos Aires. E depois de quase um ano de abandono, resolvi escrever aqui no blog. Eu adoro compartilhar dicas de viagem, porque quando você vai pra uma cidade grande como Buenos Aires, é muito difícil saber o que fazer, onde comer etc... Então vamos as dicas!


Onde ficar?
Na primeira vez que fui pra lá, fiquei em um hostel lixo, e dessa vez fiquei no alojamento da escola de Espanhol, então não tenho nenhuma experiência em um bom hostel. Mas mesmo assim, tenho três pra indicar: o Hostel Suites Florida, o Ayres Portenos hostel e o Milhouse.


Onde comer?
Cumaná: continuo indicando esse restaurante, a comida é boa e o preço é razoável. Endereço: Rodriguez Peña, 1149, Recoleta.
La Cholita: ao lado do Cumaná. O tipo de comida é bem parecido, mas achei que no La Cholita tinham mais opções de pratos com carne. Outro restaurante no mesmo esquema é o Las Cabras, que fica em Palermo, as opções de comida são bem parecidas, mas esse restaurante é maior que os outros dois.
L'ecole: um restaurante muito bom, também na Recoleta. Paguei 66 pesos por um prato de comida mais uma bebida (refrigerante ou vinho). A comida é deliciosa. Endereço: Calle Junin, 1460, Recoleta.
Onde comi boas empanadas: Comi empanadas em vários lugares, mas as melhores foram na Pizzeria Guerrin (Av Corrientes, 1368) e em uma lanchonete que fica na esquina da Av Mayo com a rua Uruguay. A melhor empanada de todas eu comi nessa lanchonete, então se estiver passeando ali perto do Obelisco, vale a pena caminhar até lá!


O que fazer, o que visitar
Dessa vez, consegui ir em vários museus e parques. Nem todos valem a visita.

Vale a pena ir no Museu da Evita (a partir das 14h)e também fazer a visita guiada na Casa Rosada (somente no fim de semana e feriados). A visita guiada no Teatro Colón também é muito legal, mas é muito cara (110 pesos), só fiz essa visita porque na hora acho que meu cérebro não estava funcionando e eu não parei pra pensar que era muito caro. Mas, pra compensar, tive a oportunidade de ver uma parte do ensaio da orquestra e ver como a acústica do teatro é simplesmente perfeita, os músicos não usam microfone e você consegue ouvir tudo perfeitamente. As apresentações de lá não são muito caras (por esse preço, dá pra ver uma apresentação da orquestra, por exemplo), por isso vale muito mais a pena ir ver uma apresentação do que fazer a visita guiada.

O Jardim Japonês é lindo, mas minúsculo, não vale a visita. O Parque Rosedal é bem bonito e no fim de semana é muito animado. Se você for pra Buenos Aires depois de outubro, vá até o Malba ver o quadro Abaporu. Eu fui, mas infelizmente o quadro está em Houston e ficará lá até outubro.

Vá na feira da Plaza Serrano em Palermo, no fim de semana. A feira é muito legal, tem muita coisa bonita e barata (paguei apenas R$180 em uma jaqueta de couro). Em volta dessa praça, tem muitos bares e eles fazem a feira na praça e também dentro dos bares, achei muito legal. Caminhe por Palermo, o bairro é uma graça.

Vá até a linha A do metro (azul claro) e fique na estação esperando o trem de madeira chegar. Essa é a linha mais antiga de Buenos Aires e tem alguns trens de madeira que são lindos!

Se quiser assistir um filme argentino, vá ao cinema Espacio INCAA, que fica em frente a Plaza do Congresso. Lá só passa filme argentino e o cinema é muito barato, só 8 pesos.

Também fui no Café Tortoni. No fim de semana, tem fila pra entrar. Só vale a pena se você for um amante da literatura e quiser ter o prazer de tomar café no mesmo lugar onde o Borges ia para tomar café.

Vá na feira da Plaza Italia (também no fim de semana) e procure a barraquinha que vende alfajor de maisena (3 pesos), foi o melhor que comi durante toda a viagem. No último dia, fui lá e comprei 15 pra trazer pro Brasil. Se você gostar de empanada, antes de voltar, vá em qualquer mercado e compre a massa pronta pra empanada. Eu comprei, fiz em casa e deu super certo.


O que fazer à noite

Bares e baladas
Na segunda, vá ao Ciudad Cultural Konex na apresentação do grupo La Bomba del Tiempo. Os gringos enlouquecem, mas pra nós que somos brasileiros não é nenhuma novidade, pois esse grupo é tipo um Timbalada, Afro Reggae ou as baterias das universidades. Mas, de qualquer forma, é muito legal e animado, por isso vale a pena ir. O show começa às 20h e custa 50 pesos. Depois do show, vá para o After Bomba no Uniclub (rua Humahuaca, é uma das travessas que começam no Shopping Abastos). Quando eu fui, teve uma banda tocando um pop rock argentino (foi bem interessante conhecer algo de lá) e depois um outro grupo tocando uma batucada à la brasileira. Não se esqueça de guardar seu ingresso do La Bomba del tiempo, aí você paga só 15 pesos.

A argentina tem um problema muito grande para quem gosta de sair à noite: as baladas começam muito tarde, muito tarde mesmo! Se você sair de casa as 23h, vai chegar na balada e ajudar o segurança a abrir a porta. As coisas por lá só começam depois das meia-noite e só ficam boas mesmo por volta das 2 da madrugada! Por isso, recomendo irem ao Pub Crawl, no site tá explicando como funciona. O pub crawl começa as 22h (tem todos os dias!! Buenos Aires tem muitos bares e baladas, muitos!! Só pra efeito de comparação, em Sao Paulo só tem pub crawl  sexta e sábado), eu participei do pub crawl 3 vezes e me diverti muito. Dos bares que eu fui com o pub crawl, os que eu mais gostei foram o Shamrock (Rodríguez Pena, 1220) e o The Spot (Ayacucho, 1261), ambos na Recoleta, e também o The Kamus, na Honduras, 5615, em Palermo Soho. Um outro bar muito legal é o Sugar (Costa Rica, 4619 – perto da Plaza Armenia), o lugar é bonito, a música é boa e lá as coisas começam relativamente cedo (se você for às 21h já tem gente e as 23h já está animado).

Balada mesmo, eu fui na Rumi, na Pacha, na Bahrein e na Lost. A Rumi é muito legal, gostei muito! Já a Pacha, não gostei. O lugar é longe, pequeno e o banheiro é minúsculo (fiquei quase 1h na fila). A Bahrein é uma balada de música eletrônica, mas eletrônica mesmo (aquele putz-putz sem fim), o lugar é legal e a entrada custa 50 pesos. Eu fui na Lost no dia do hip-hop (super minha cara), a entrada foi 20 pesos, mas não lembro o endereço, só lembro que fica em Palermo. O pessoal da escola de espanhol me indicou outras baladas como Tequila, Shampoo, Kika (fique zanzando pela Plaza Serrano que você encontra pessoas dando flyer pra entrar de graça nessa balada), Rosebar (só entra com nome na lista, veja como colocar o nome na lista no facebook deles) e Terrasas del Este (que fica na beira do rio, o pessoal vai e fica lá até amanhecer, dizem que é lindo - quarta e sábado), mas não dava pra ir em todas.

Se você quiser conhecer uma balada tipicamente argentina, onde só tem argetinos e alguns poucos turistas perdidos, vá até o Rey Castro em San Telmo, mas se prepare para ouvir reggaeton e cumbia das boas a noite toda. Se você ficar zanzando pela rua Chile, vai encontrar pessoas entregando flyer pra entrar de graça lá.

Outro problema: quase nenhuma balada ou bar aceita cartão!! Por isso, sempre ande com muito dinheiro, pra pagar as bebidas e o táxi (especialmente se for no pub crawl, porque eles não avisam em que balada vai terminar e algumas são longe – tipo a Pacha e a Rumi). Em um sábado, o pub crawl acabou na Pacha. Estávamos com pouco dinheiro e lá não aceita cartão, por isso acabamos indo embora cedo, pois estávamos com muita sede e não queríamos arriscar ficar sem dinheiro pro táxi (nem água dava pra comprar, porque água lá custa curo, paguei 18 pesos em uma garrafa na Bahrein).

Show de tango
Eu fui em dois, mas foram dois shows para ver orquestras tocando e não dançarinos (não tinha nenhum profissional dançando, não foi um show de dança). Em um domingo, fui no Café Vinilo. O lugar é pequeno, super intimista e lindo! Assistimos o show da Orquestra El Arranque, pagamos 50 pesos. Também fui no Buenos Ayres Club, no Bendita Milonga. Lá, é uma milonga, isto é, um lugar onde os portenhos vão para dançar tango, o que eu achei muito legal! O Bendita/Maldita Milonga acontece nas segundas e quartas. As 21h tem aula de tango (e foi quando eu descobri que é impossível aprender tango) e as 23h começa o show. A entrada custa 25 pesos.


Algumas dicas importantes: se você for no inverno, leve muito hidratante, pois Buenos Aires tem o poder de sugar toda a água da sua pele. Gente, nunca vi minha pele tão seca quanto lá. Para passar na boca, recomendo levarem o Bepantol Derma, você passa na boca antes de dormir e no outro dia já está melhor, porque manteiga de cacau não faz nem efeito.
Se quiser ligar para o Brasil, não use o telefone do hotel ou hostel, procure por um locutório. É tipo uma lan house onde você pode usar a internet e fazer ligações, tem um em cada esquina. Mas pesquisa o preço, pois eu paguei 4 pesos por minuto em um locutório e no dia seguinte achei um que cobrava 2 pesos.


A parte ruim da viagem: Buenos Aires está abandonada. A cidade está suja, tem lixo por tudo quanto é lado. O metrô está sujo e fedido. O táxi está caro demais, a bandeirada está 7,50 pesos (8,30 pesos à noite), quando fui pra lá em 2010 acho que estava 3 pesos. Se você queria ir pra lá fazer compras, esqueça. Está tudo muito caro. Só achei coisa barata na feira em Palermo e em umas lojas (uma delas é a Verde Manzana. Achei algumas lojas baratas na Av Santa Fe, entre o metrô Bulnes e o Pueyrredón). A água continua sendo a água mais cara do mundo, especialmente se você for turista. Tentaram me vender uma garrafinha de água por 5 pesos (R$2,50). Se você for mulher, prepara-se para ser atacada, porque os argentinos conseguem ser piores que os brasileiros nesse quesito. Eu tinha me esquecido desse detalhe, porque na maioria dos dias saí com o pessoal da escola e tinham vários homens no grupo. Só me lembrei de como era o approuche argentino quando saí com uma amiga brasileira que também foi pra lá. Eles te puxam pelo braço, enchem seu saco, te seguem. Você saí andando e eles vão atrás. A solução é fazer uns amigos gringos (que não tem esse fogo latino) e aí nenhum argentino chega perto de você (a não ser que você queira).


Para os meus amigos que estão indo para lá nas férias de julho... desejo uma ótima viagem!!! Preparem-se para andar pelo menos 5km por dia, dormir pouco, comer muito e se divertir mais ainda!!!

ps: Fiquei com preguiça de achar o link de todos os lugares, mas é fácil de achar no google, é só colocar o nome da balada/bar/restaurante seguido de Buenos Aires e pronto!


3 comentários:

Sue Ellen disse...

Ai que saudades de Buenos Aires! Quero muito voltar pra ficar bastante tempo! :) Quando fui, fiquei no Ayres Porteno! É uma graça! Adorei! (e muitooo barato) mas dizem que o Milhouse é o melhor.. mas é mto concorrido! Adorei as dicas! Dá até vontade de planejar uma viagem..rs Beijos!

Aline disse...

E eu?! Escrevendo esse post, fiquei morrendo de vontade de voltar pra lá e fazer tudo de novo, fazer as coisas que eu não fiz... ai que tristeza!!!

Daniel Lemos Cury disse...

Buenos Aires é demais. Eu incluiria uma outra dica: o Café "La Poesía", em San Telmo. Muito joia. E os Hostels "Ostinato" e "Art Fectory" também me pareceram muito bons. Aquela coisa de ficar horas em um Café lendo um bom livro é uma das coisas que eu mais gosto da cidade.