4 de junho de 2010

Quem quer ser professor?

Eu fiz Letras, uma graduação que - ao menos teoricamente - deveria formar professores. No entanto, são poucas as pessoas que estudaram comigo que decidiram seguir a profissão. Se antes, ser professora era o sonho de boa parte das meninas, hoje a história mudou.

No Brasil, ninguém quer ser professor. Ninguém quer trabalhar feito um louco na escola e depois dela, pois a jornada de trabalho do professor está longe de terminar quando ele chega em casa: ainda passará horas a fio preparando as aulas do dia seguinte.

Quando se fala em ser professor de escola pública então, a coisa piora ainda mais. Ninguém quer ganhar uma miséria pra dar aula o dia todo (muitas vezes, até tarde da noite), em uma escola no fim do mundo. Ninguém quer passar o dia gritando com aluno mal educado, separando brigas e ainda passar por momentos de tensão todo dia, na hora da saída. Será que meu carro ainda está inteiro?

Eu dei aula por um tempo e essa experiência foi o suficiente pra me fazer desistir da idéia de ser professora. Eu quase sempre chegava em casa com a cabeça estourando, de tanta bagunça e gritaria, ou talvez por passar boa parte do tempo gritando com os alunos. Se eu falasse, ninguém ouviria. Todo dia, eu voltava pensando “Eu não estudei a minha vida toda pra ter que passar por isso: ser maltratada por pirralhos de 14 anos.” Eu não merecia aquilo. Aliás, ninguém merece.

No link abaixo, está um texto que uma professora da faculdade nos encaminhou, foi escrito por uma amiga dela. Ele retrata o desespero e o desânimo de uma professora, que não sabe mais o que fazer diante da total calamidade da educação do país.


Professor - Uma espécie em extinção

"Todo mundo pensando em deixar um planeta melhor para nossos filhos... Quando é que pensarão em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"

2 comentários:

Layne disse...

Eu sei que é uma opinião, e opiniões são subjetivas...
Mas eu só consigo pensar "Ainda bem que existiram os professores que não desistiram quando nós éramos os 'pirralhos de 14 anos', ou não estaríamos as duas, e mais outros tantos, onde estamos hoje..."

Eu sou a Aline! disse...

É... mas nós nunca fomos esses pirralhos de 14 anos. A gente ia pra escola pra estudar, porque sabíamos da importância disso, por isso não desistiram de nós.
Esses meninos só vão pra escolar pra namorar e atormentar os professores.