20 de novembro de 2010

Ame ao próximo como a si mesmo


... acredite ou não, esse é um texto contra a homofobia.



Eu não queria me manifestar sobre isso, pois pra mim preconceito é algo inadmissível e deveria ser assim pra todo mundo. Mas não é.

A liberdade de expressão dá a cada um de nós o direito de ter sua própria opinião e de pensar o que quiser sobre tudo que acontece a sua volta. Também nos dá o direito de expressar esse pensamento ou opinião sem ser reprimido. No entanto, tal direito não se justifica quando a nossa opinião insulta, difama, constrange, humilha outras pessoas.

No dia 15 de novembro, a Universidade Mackenzie publicou em seu site um texto no qual reivindicava o direito de ser homofóbica. Fiquei perplexa ao ver uma universidade desse nível reivindicar o direito de adotar uma posição preconceituosa. Parecia coisa do século passado.

Até onde eu me lembro, um dos papéis mais importantes de escolas e universidades é formar cidadãos conscientes, capazes de participar criticamente da sociedade. Portanto, é inaceitável que uma instituição de ensino pregue e apoie o preconceito, seja lá qual ele for.

Além do mais, já cansei desse blá-blá-blá homofóbico, de campanhas contra casamento entre homossexuais, contra a adoção de crianças... pois estão sempre baseados em argumentos falaciosos, que não fazem o menor sentido. Já cansei de ouvir que “homossexuais não podem se casar porque vai contra as leis de Deus e da natureza” e que “apenas casais heterossexuais tem condições psicológicas de cuidar de crianças”, em um país onde centenas de mulheres são espancadas até a morte pelo próprio marido – abençoado por Deus – e crianças são abandonadas, maltratadas e molestadas pelos pais – naturais.

O que me incomoda muito também é o fato das pessoas justificarem a homofobia apoiadas em preceitos religiosos. Embora eu não seja muito religiosa hoje, já fui muito católica, frequentava a igreja, lia a bíblia... e confesso que nunca encontrei na religião esse Deus preconceituoso de quem tanto falam por aí.

Se me lembro bem, o Deus que as pessoas dizem condenar o homossexualismo porque é um comportamento promíscuo e vai contra a estrutura familiar, é o mesmo Deus que salvou a vida de uma prostituta, impedindo-a de ser apedrejada. Esse Deus, que muitos dizem condenar a homofobia – o que implicaria em humilhar e inferiorizar os homossexuais -, é o mesmo Deus que prega o amor incondicional, que nos pede para amar o próximo como a nós mesmos e para fazer o bem a todas as pessoas.

Mas parece que essa lição, ninguém aprendeu.

2 comentários:

Bárbara Nonato disse...

Ótimo texto!!!

Tbm já escrevi algo sobre isso...


http://rezasepecados.blogspot.com/2010/09/voce-sabia-que-o-brasil-e-o-campeao.html?spref=fb



Beijo flor!

Talita disse...

Aline, muito legal o seu texto! Parabéns!
Talita.