14 de novembro de 2008

E é cada um por si...

Ao longo das faculdades (digo faculdades porque estou fazendo meu segundo curso de graduação), ouvi muitos, muitos professores lamentarem seu destino. Estudar literatura não leva à lugar nenhum. Ser linguísta não dá dinheiro. Não temos reconhecimento. É uma carreira muito difícil. E blá-blá-blá.

Apesar de tantos problemas, é incrível como eles ainda persistem na profissão. É claro que todos nós fazemos escolhas erradas na vida e muita gente não acerta, assim, de primeira. No entanto, acredito que bastam alguns anos para que você perceba que está indo pelo caminho errado e, então, tome outro rumo.

Mas esses professores não. Eles se formaram há anos, mas continuam lá, persistem na vida sacrificante. Não largam o osso de jeito nenhum.

Além disso, a vida não é tão ruim quanto eles pregam. Eu concordo que os professores da Unicamp não ganham tão bem quanto merecem, afinal são necessários incessantes anos de estudos para chegar onde eles estão. Mas a profissão não é tão ruim quanto eles dizem, o que pode ser percebido pelos seus carros, viagens, aparições em TV, jornais e revistas. Isso sem falarmos no glamour do título "professor da Unicamp".

Às vezes me dá a impressão, talvez errônea - sabe-se lá - que todas esssas reclamações não passam de um joguinho para convencer os alunos a desistirem do curso e assim... eles terão um concorrente à menos. Eles parecem ter medo de serem substituídos pelos próprios alunos e se protegem como podem.

Alguns reclamam da vida acadêmica, outros do salário. Outros fazem de tudo para tornar a vida dos alunos - e a conclusão do curso - mais difícil. E há aqueles que resumem suas aulas à um amontoados de idéias sem sentido, impossibilitando que os alunos aprendam tudo aquilo que eles sabem.

Felizmente, ainda existem muitos professores que não agem dominados por esse egoísmo imaturo e sem sentido. Professores que sabem que melhor do que manter sua vaga garantida, é tê-la roubada por uma pessoa brilhante que ele ajudou a criar.
.: Em homenagrem a todos meus professores de verdade,
por seu altruísmo e competência :.

2 comentários:

Sue Ellen disse...

Eu adoro ser professora. Adoro mesmo. Mas jamais aconselharia um aluno meu a ser também.. e nem sei ao certo porquê. E não é por medo de "roubarem" uma vaga minha.. se eles forem melhor professores, melhor pra todos. Acho que por ser referência, não queremos insentivar um caminho que é penoso..às vezes, frustrante. Em todo caso, difícil ou não, é preciso que se faça o trabalho da melhor forma possível! é o que eu tento fazer

Eu sou a Aline! disse...

Eu concordo q é um trabalho penoso, mas uma coisa é não incentivar seus alunos do Ensino Médio a serem professoras, outra coisa - bem diferente - é desencentivar os alunos do curso de Letras Licenciatura...